Entregar papel usado permite dar de comer.

2013-01-02

Bancos Alimentares incentivam gestos simples dando sentido aquilo que pareceria não ter valor.

A Campanha “Papel por Alimentos” permitiu recolher mais de 3.000 toneladas de papel no primeiro ano, conseguindo assim reforçar os cabazes distribuídos pelos Bancos Alimentares.

Incentivando as pessoas a entregar papel usado (jornais, revistas, folhetos, livros, etc), a Campanha lançada há um ano pelos Bancos Alimentares recolheu, até final de Novembro, 3.005.668 kg de papel usado encaminhados para correcta para reciclagem, aliando assim uma campanha com contornos ambientais à actividade social desenvolvida por estas instituições.

A Campanha é desenvolvida em parceria com a Quima, empresa de recolha e recuperação de resíduos, que por cada tonelada de papel recolhido entrega à Federação dos Bancos Alimentares o equivalente a 100 euros em alimentos.
No primeiro ano o valor do papel recolhido (mais de 300 mil euros) foi convertido em leite, atum, salsichas e azeite, produtos não perecíveis muito importantes para os cabazes mensalmente entregues às instituições de solidariedade apoiadas pelos Bancos Alimentares que participam na iniciativa.
A campanha “Papel por Alimentos” mobilizou mais de 2.000 instituições apoiadas pelos 17 Bancos Alimentares do Continente e ainda muitas pessoas, escolas e universidades, empresas e entidades que, de Norte a Sul do país, quiseram participar doando o seu papel e ajudando a conseguir mais alimentos para distribuir localmente a quem mais precisa. Com um pequeno gesto, todos podem contribuir e ser solidários com quem mais precisa.
O seu papel é essencial!
Esta Campanha prossegue pois tem também como objectivo instituir hábitos e gestos simples que podem ser importantes para a protecção do planeta, apelando ao papel que cada um de nós pode desempenhar. Pretende ainda incentivar o voluntariado, pois a entrega do papel recolhido nas instalações das instituições ou dos Bancos Alimentares contra a Fome de cada região é feita por voluntários que asseguram o transporte.
Entregue no Banco Alimentar mais próximo de si todo o papel usado de que já não precisa! Continua a alimentar mais esta ideia.

 

Sobre os Bancos Alimentares
Os Bancos Alimentares Contra a Fome distribuem, ao longo de todo o ano, os géneros alimentares recorrendo a Instituições de Solidariedade Social por si seleccionadas e acompanhadas em permanência. Incentivam as visitas domiciliárias e o acompanhamento muito próximo e individualizado de cada pessoa ou família necessitada por estas instituições, de forma a ser possível efectuar, em simultâneo, um verdadeiro trabalho de inclusão social.
Em 2011, os vinte Bancos Alimentares Contra a Fome operacionais no território nacional distribuíram um total de 30.261 toneladas de alimentos (equivalentes a um valor global estimado superior a 42.365 milhões de euros), ou seja, um movimento médio de 121 toneladas por dia útil.
A actividade dos Bancos Alimentares norteia-se pelo princípio genérico da “recolha local, ajuda local”, aproximando os dadores dos beneficiários e permitindo uma proximidade entre quem dá e quem recebe. Possibilita o encontro entre voluntários e instituições beneficiárias, por um lado, e entre fornecedores da indústria agroalimentar, empresas de serviços, poderes públicos e o público em geral, em especial durante os fins-de-semana das campanhas de recolha, em que todos trabalham lado a lado por uma causa comum: a luta contra as carências alimentares e a fome.
Em 1991, foi aberto em Portugal o primeiro Banco Alimentar Contra a Fome e estão, actualmente, em actividade no território nacional 20 Bancos Alimentares, congregados na Federação Portuguesa dos Bancos Alimentares, com o objectivo comum de ajudar as pessoas carenciadas, pela doação e partilha. Existem 247 Bancos Alimentares operacionais na Europa, que, em 2011, distribuíram 429.600 toneladas de produtos a 5,2 milhões de pessoas, através de 31.096 associações (www.eurofoodbank.org).
___________________________________________________________________
Para mais informações sobre a campanha, contactar:
Banco Alimentar Contra a Fome: 213 649 655- www.bancoalimentar.pt

A procurar...
BA AbrantesBA AlgarveBA AveiroBA BejaBA BragaBA Castelo BrancoBA CoimbraBA Cova da BeiraBA ÉvoraBA Leiria-FátimaBA LisboaBA MadeiraBA OesteBA PortalegreBA PortoBA SantarémBA São MiguelBA SetúbalBA TerceiraBA Viana do CasteloBA Viseu

SL Benfica associa-se à luta contra a fome

O Sport Lisboa e Benfica, através da sua Fundação, propor uma recolha de alimentos para os mais carenciados, divulgou-a com Rui Vitória como porta-voz, e os Benfiquistas aderiram em massa, mobilizando-se em torno da causa. Foram doadas 14,3 toneladas pelos adeptos que manifestaram assim a sua solidariedade.


Saiba mais »

Campanha Pilhas por Alimentos

O Banco Alimentar de Lisboa recolheu 1.110 kgs de pilhas usadas na campanha Pilhas por Alimentos. O Banco Alimentar de Aveiro foi o grande vencedor recolhendo 1.910 kg. Na 1ª edição da campanha Pilhas por Alimentos, os 13 BA que participaram reuniram um total de 6,9 toneladas de pilhas usadas.

Saiba mais »
mais notícias »