O ABASTECIMENTO

O Banco Alimentar recebe toda a qualidade de géneros alimentares, ofertas de empresas e particulares, em muitos casos excedentes de produção da indústria agro-alimentar, produtos com embalagens com defeito, géneros com prazos de validade em vias de expiração, excedentes agrícolas e da grande distribuição, e ainda produtos de intervenção da União Europeia.

São recolhidos localmente e a nível nacional no estrito respeito pelas normas de higiene e de segurança alimentar.

A estas dádivas, acrescentam-se os produtos oferecidos por particulares nas campanhas de recolha efectuadas nas superfícies comerciais.

Os Bancos Alimentares possuem uma organização logística profissional para:

  • a recolha e o encaminhamento de produtos alimentares; 
  • a sua triagem e armazenagem; 
  • o controlo de qualidade; 
  • o armazenamento em frio. 

Aproveitar onde sobra para distribuir onde falta. É este o nosso objectivo: evitar o desperdício de alimentos fazendo-os chegar às pessoas que têm fome.

A busca de alimentos deve ser imaginativa numa lógica de luta contra o desperdício, incentivando as dádivas. Cada Banco dispõe de uma Comissão de Abastecimento própria, bem estruturada e orientada pelos princípios comuns. A Federação contacta as empresas de âmbito nacional e reparte as doações de acordo com uma grelha anualmente definida em função das pessoas apoiadas e da capacidade de distribuição de cada Banco associado.

São por vezes oferecidos produtos que não podem ser directamente consumidos e exigem transformação (ex: leite por embalar, fruta a granel ou a transformar em compota, etc.)  Essas operações de transformação, embora impliquem um custo de embalagem e acondicionamento, não alteram a regra da gratuidade dado que os produtos de base foram oferecidos. A despesa efectuada visa valorizar o produto doado.

Os Bancos Alimentares apenas distribuem aquilo que possuem. Não são supermercados mas partilham a totalidade das dádivas que recebem. O acordo celebrado com as instituições recorda este princípio. Cabe às instituições a obtenção daquilo que os Bancos não lhes fornecem. 

A procurar...
BA AbrantesBA AlgarveBA AveiroBA BejaBA BragaBA Castelo BrancoBA CoimbraBA Cova da BeiraBA ÉvoraBA Leiria-FátimaBA LisboaBA MadeiraBA OesteBA PortalegreBA PortoBA SantarémBA São MiguelBA SetúbalBA TerceiraBA Viana do CasteloBA Viseu

SL Benfica associa-se à luta contra a fome

O Sport Lisboa e Benfica, através da sua Fundação, propor uma recolha de alimentos para os mais carenciados, divulgou-a com Rui Vitória como porta-voz, e os Benfiquistas aderiram em massa, mobilizando-se em torno da causa. Foram doadas 14,3 toneladas pelos adeptos que manifestaram assim a sua solidariedade.


Saiba mais »

Campanha Pilhas por Alimentos

O Banco Alimentar de Lisboa recolheu 1.110 kgs de pilhas usadas na campanha Pilhas por Alimentos. O Banco Alimentar de Aveiro foi o grande vencedor recolhendo 1.910 kg. Na 1ª edição da campanha Pilhas por Alimentos, os 13 BA que participaram reuniram um total de 6,9 toneladas de pilhas usadas.

Saiba mais »
mais notícias »